Verdadeira histria do acontecimento FGX e MXC

 A cronologia das verdades, das inverdades e dos fatos que não foram divulgados por interesse.

- A atual diretoria foi eleita em Assembléia Geral Extraordinária no dia 5 de fevereiro de 2011 na cidade de Gravataí-RS

- No mesmo dia houve a primeira reunião na cidade de Novo Hamburgo, onde alguns pontos relevantes foram abordados e tomados como norte a partir do momento.

- Um dos pontos discutidos e aprovados pelo grupo foi de que para divulgar competições com apoio da FGX os interessados deveriam estar vinculados de alguma forma com a FGX, ex.: clubes federados.

- Na semana seguinte já iniciamos a divulgação da primeira competição que a FGX iria fazer parte da organização, 1º Torneio Aberto Cidade de Nova Petrópolis-RS, semifinal do estadual garantindo doze vagas aos gaúchos na final do estadual de 2011, além de outras cinco competições de xadrez rápido com premiação de R$ 1.000,00 cada uma.

- Ainda na primeira quinzena de fevereiro o VP Metropolitano da FGX encaminhou um e-mail ao MXC solicitando da possibilidade de um encontro. Estamos aguardando o retorno deste e-mail até hoje.

- Ainda em fevereiro o VP Metropolitano se dirigiu até a Prefeitura Municipal oferecendo os préstimos da FGX na organização da tradicional competição do Mercado Público, aniversário da capital. A informação que o VP obteve foi de que um dirigente do MXC, atual diretor de arbitragem, esteve na secretaria de esportes solicitando o direito de organizar. Na oportunidade garantiu a presença de dois jogadores da Bolívia. Quando perguntado por membros se a FGX estaria na parceria ou se a mesma pudesse organizar o mesmo respondeu que a FGX não tinha estrutura, pois nem diretoria existia. Ainda segundo fontes da secretaria e constatação simples por todos, na data a FGX já tinha diretoria. O que causou estranheza maior foi da afirmação de diretores do MXC de que a Prefeitura Municipal teria os procurados para a realização da competição, quando na realidade fora o contrário.

- Mesmo com estes desencontros em uma festa de aniversário, o VP Técnico da FGX e o Diretor Técnico do MXC se encontraram e, na presença de amigos em comum, o dirigente da FGX perguntou se o MXC teria interesse no apoio da FGX na referida competição. A resposta do Diretor de Xadrez do MXC: "O MXC não tem interesse no apoio da FGX, pois um eventual apoio da FGX seria prejudicial aos planos do clube quanto a realização da competição do Mercado Público, iria manchar". Para concluir disse ainda o seguinte: "A atual diretoria terá que provar a sua competência, para só depois o MXC pensar em se filiar". Palavras de uma

pessoa, amigo de ambos, que se encontrava no local, "quanta agressividade, quanta prepotência deste dirigente de clube".

- Em momento algum o MXC entrou em contato com a atual diretoria solicitando alguma divulgação até a realização da competição de Nova Petrópolis quando o Diretor de Xadrez e o Diretor de Arbitragem solicitaram da possibilidade de divulgarem a competição do Mercado Público.

- Seguindo a cronologia dos fatos, início de março o MXC não queria o apoio da FGX, não seria quinze dias depois, em um evento da FGX que o MXC iria querer, a não ser que uma mudança muito grande de conceitos ocorrera neste período. Além disso, o presidente do MXC não tinha se manifestado em nenhum momento até então. A resposta foi simples: "a FGX não quer prejudicar o evento do Mercado, é melhor não divulgarem, a Federação pode manchar a imagem da competição". Por sinal, a mesma resposta dita por dirigente do MXC dias antes.

- Mesmo diante destes fatos, houve um encontro solicitado pelo MXC e aceito pela presidência da Federação, momento no qual todos deveriam estar desarmados, o que não ocorreu desde o início da reunião, foram mais de 30 minutos da palavra do presidente do MXC sem permitir que os demais pudessem falar, inclusive vários momentos de indelicadeza. Afirmou que somente falaria de presidente para presidente e não com pessoas com cargos menores. Estranhamente estava acompanhado de dois dirigentes, de cargos menores dentro de seu clube.

- A FGX trabalha em grupo, os assuntos são discutidos por todos, e um presidente de clube não é mais importante que um Vice de Federação, como um governador não é mais importante que um ministro da união, como o "João" não é inferior ao "Pedro", em termos jurídicos constitucionais (livros dos direitos e garantias), igualdade é tratar os iguais como iguais, e desiguais como desiguais!..

- Colocados os fatos, alertas sobre as inverdades, e principalmente a verdade aos enxadristas gaúchos sobre uma "ata" que está sendo divulgada por dois grupos de discussão em nosso estado temos a dizer o seguinte:

A FGX repudia medidas como esta do MXC, carta aberta, onde as ofensas, afirmações infundadas e inverdades, além das agressões aos seus dirigentes são a tona da mesma. De qualquer forma, havendo uma alteração de postura por parte do clube, e se filiando, a Federação com certeza dará o maior apoio a esta entidade.

Parafraseando artistas brasileiros de letras musicais conhecidas, que lembramos neste episódio:

"Narciso acha feio o que não é espelho!, e a mente apavora o que não é mesmo velho..." e "A covardia é surda e só houve o que convém..."

Diretoria.
Gestão 2011-2012

 



Voltar